Login

Register

Login

Register

Conheça as principais tendências relacionadas ao consumo de suplementos

curcuma

O mercado global de suplementos alimentares é de cerca de US$ 120 bilhões, com um crescimento anual nos últimos anos de cerca de 6%. Segundo o jornal “Valor Econômico”, o Brasil é o terceiro maior mercado de suplementos alimentares do mundo, depois dos Estados Unidos e da Austrália. De acordo com estimativas da Brasnutri, o mercado brasileiro pode chegar a um faturamento anual de R$ 5 bilhões.

Mesmo com uma perspectiva favorável, o mercado nacional tem sofrido uma lenta desaceleração e, por conta disso, fabricantes têm buscado alternativas para ampliar o público consumidor.

De acordo com uma pesquisa da Euromonitor sobre os suplementos alimentares, na América Latina a preocupação crescente com a saúde, englobando prevenção de doenças a longo prazo, e uma grande variedade de produtos tem alavancado as vendas no mercado.

Tendências de suplementação para a América Latina

Alimentos funcionais atualmente detêm a maior parte do mercado de nutrição e suplementos alimentares da América Latina, representando 81,8% em 2017, mas a demanda por suplementos dietéticos deve aumentar, de acordo com a Grand View Research, uma das maiores empresas de pesquisa do mundo.

Segundo a pesquisa, que projeta os dados para 2018-2025, alimentos funcionais vão dominar o mercado latino-americano. Produtos fortificados, probióticos e esteróis e estanóis estão entre as tendências. A crescente conscientização sobre os benefícios da dieta saudável e a necessidade de controle de peso são alguns dos fatores que impulsionam a demanda por alimentos funcionais.

O segmento de nutrição esportiva também tem crescido. Segundo a Associação Brasileira de Empresas de Produtos Nutricionais (Abenutri), em 2018, só o setor de Sport Nutrition –uma das quatro divisões do mercado, que ainda inclui bem-estar, perda de peso e nutrição cosmética — faturou cerca de R$ 2,24 bilhões, crescendo 12% em relação ao ano anterior. A expectativa para 2019 é de crescimento de 15%. Novos lançamentos de produtos podem impulsionar ainda mais a expansão do mercado de nutrição esportiva até 2025.

Formulações

De acordo com o estudo da Grand View, o segmento de formulações em pó tem sido um dos preferidos dos fabricantes e consumidores, e continua a ser uma tendência para os próximos anos. Além de estarem disponíveis em concentrações mais altas, têm maior taxa de absorção. Para os fabricantes, há uma variedade maior de matérias-primas e menores custos de fabricação, impulsionando o crescimento das formulações em pó em toda a América Latina.

Outras tendências de formulação incluem gomas, pirulitos, pastilhas e “shots”, que são pequenas garrafinhas com conteúdo líquido – geralmente carboidratos. Esse é o segundo maior segmento da indústria, enquanto que, em terceiro lugar, estão as cápsulas.

Tendências globais

Conheça as tendências do uso de ingredientes em nível global:

Uso da curcumina
A curcumina é um pigmento amarelo encontrado principalmente na cúrcuma, uma planta da família do gengibre mais conhecida como especiaria usada no curry.É um pigmento fenólico com propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes (Além disso, tem propriedades antidiabéticas, antitumoral, antiviral, antibacteriana, antiparasitaria e antifúgica)

A curcumina e os curcuminóides encontrados na cúrcuma podem ser extraídos para produzir suplementos que tenham uma potência muito maior do que a cúrcuma.

No entanto, a curcumina  apresenta baixa biodisponilidade, isto é, apresenta uma má absorção pelo organismo, além de ser rapidamente metabolizada e eliminada. , para melhorar sua biodisponibilidade, realizaram-se inúmeras pesquisas e estudos, onde puderam notar essa melhora com 3 técnicas: a utilização da nanotecnologia, a utilização de outras substâncias junto com a curcumina e a modificação da estrutura da molécula da curcumina. No nosso caso, utilizamos a nanotecnologia, que consideramos a mais segura dentre as soluções apresentadas.

A suplementação de curcumina reduz de maneira confiável os marcadores de inflamação e  tem a propriedade  de impedir a geração e as reações dos radicais livres, o que confere a ela sua capacidade antioxidante. – embora sejam necessárias mais pesquisas sobre esse ativo.

Prebióticos (sim, com “e”)
Os prebióticos são um tipo de fibra que o corpo humano não consegue digerir. Eles servem como alimento para probióticos, que são microorganismos vivos minúsculos, incluindo bactérias e leveduras. Ambos os prebióticos e probióticos podem apoiar bactérias benéficas e outros organismos no intestino. Prebióticos e probióticos suportam o corpo na construção e manutenção de uma saudável colônia de bactérias e outros microorganismos, que suportam o intestino e auxiliam na digestão.

Probióticos (dessa vez com “o”)
Esses microrganismos benéficos são a categoria de suplementos dietéticos que mais cresce, de acordo com a Euromonitor, e isso deve continuar este ano. Novos ensaios clínicos têm surgido apontando os benefícios dos probióticos para a saúde digestiva, sistema imunológico, saúde da mulher, saúde cardiovascular, controle de peso, desempenho atlético, humor e bem-estar, função cognitiva, saúde da pele e assim por diante.

Colágeno
O colágeno continua sendo a bola da vez, com estudos científicos cada vez mais bem sustentados, demonstrando seus benefícios. Na verdade, para o mercado brasileiro, o colágeno está em alta. A Nestlé, por exemplo, lançou no ano passado uma linha específica de suplementação alimentar com colágeno. O colágeno também tem aparecido na nutrição esportiva para melhorar a saúde da pele.

Os “nootropics”
Os ingredientes que estimulam o cérebro, que incluem citicolina (Cognizin), Bacopa monnieri, fosfatidilserina, Rhodiola rosea, Ginkgo biloba​, extrato de hortelã, ômega-3, vitaminas do complexo B, entre outros, têm despertado o interesse de atletas e não-atletas, porque possibilitam uma melhor tomada de decisão e foco nas atividades diárias. Aqui também estão incluídos os “e-atletas”, que gostam dos vídeo-games.

Adaptógenos
Os adaptógenos são plantas não tóxicas comercializadas para ajudar o corpo a resistir a estressores de todos os tipos, sejam físicos, químicos ou biológicos. Essas ervas e raízes têm sido usadas há séculos nas tradições de cura chinesa e ayurvédica, mas hoje elas estão tendo um renascimento. Alguns, como o manjericão, podem ser comidos como parte de uma refeição, e alguns são consumidos como suplementos ou transformados em chás. Outro exemplo conhecido de adaptógeno é o ginseng.

Deixar um comentário